Atualidades em Fisiologia do Exercício:

Evento Internacional

Limites do Desempenho Físico e Métodos de Treinamento

Promovido pela Sociedade Brasileira de Fisiologia (SBFis)

Data 29/08/19 às 19 horas

Local:

Hotel Travel Inn Live & Lodge Ibirapuera

Rua Borges Lagoa, 1179

Vila Clementino - São Paulo - SP

Estação de Metrô mais próxima: Estação Hospital São Paulo - linha lilás.

6ea8b60f4d34e03407466cc273dd806d (1).jpg

Investimento inscrição:

Estudantes de Graduação: R$100,00

Profissionais Graduados: R$200,00

5c2fec65994f4b863cd202fea259c9b2.jpg
0d92876afddb463249d46dac4b06cbcd.jpg

Carga Horária: 4 horas

Com certificado emitido pela SBFis -Sociedade Brasileira de Fisiologia

Contato:

Telefone: (11) 3396-6570

Email: contato@sefeunifesp.com

Palestras

Cronograma do Evento

19:00    Introdução do evento

19:15     Palestra Dr. Bryan Taylor     

20:00   Palestra Dr. Bruno Silva     

20:45   Coffee Break e demonstração de métodos: máscara "hipóxica",                        isquemia, monitoramento de treinamento e preensão manual

21:30    Palestra Ms. Thiago Ferreira

22:15     Palestra Dr. Lauro Vianna

Bryan Taylor.png

BRYAN TAYLOR

Ciência feita no Everest revela limites do desempenho físico do ser humano

Pós-doutor na área de fisiologia do exercício físico

Professor da Universidade de Leeds

Currículo: https://biologicalsciences.leeds.ac.uk/school-biomedical-sciences/staff/143/dr-bryan-taylor

Haverá tradução da palestra em inglês do Dr. Bryan Taylor pelo Dr. Bruno Silva (resumo realizado em português a cada 5 a 10 min da palestra em inglês)

A oferta de oxigênio para músculos, coração, cérebro entre outros órgãos é fundamental para a execução de exercícios físicos. Neste sentido, situações de elevada altitude impõe enorme desafio para a manutenção da homeostasia durante o exercício físico. O desafio imposto pela altitude começa a partir de 2 mil metros de altitude.

 

No Brasil, não temos cidades acima de tal altitude, apenas algumas montanhas. A mais alta é o Pico das Bandeira com 2.892 m. Por isso, diversos atletas procuram a altitude em outros países como um método de treinamento ou são vulneráveis à altitude em situações de competições, como jogos de futebol na Bolívia e outros países na região das cordilheiras dos Andes onde alguns estádios são localizados a aproximadamente 4 mil metros de altitude.

 

O interesse do Dr. Bryan pelos efeitos da altitude no corpo humano o levou a executar uma expedição para realizar estudos científicos no Everest, a maior montanha do mundo, com quase 9 mil metros de altitude. Portanto, em sua palestra o Dr. Bryan discutirá temas atuais de seus estudos acerca de efeitos na altitude no corpo humano e como estes efeitos interferem na capacidade de realizar exercícios físicos

Bruno SIlva.jpg

BRUNO SILVA

Uso de isquemia em atletas para melhorar o desempenho físico e adaptações do treinamento

Pós-doutor na área de fisiologia do exercício físico

Professor da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/6680100353729718

Isquemia prolongada gera infarto. Mas isquemia usada na dose correta poder ser útil na área de fisiologia do exercício. Isquemia utilizada em repouso, antes do exercício, tem o potencial de melhorar agudamente o desempenho para realizar exercício aeróbio e exercício intermitente.

 

Este método é chamado de pré-condicionamento isquêmico e o grupo de pesquisa do Prof. Bruno Silva na Unifesp tem experiência na sua utilização em atletas no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, assim como possui publicações e reconhecimento internacional por estudos no assunto (ex.: Ferreira TN, et al. Med Sci Sports Exerc 2016; Sabino-Carvalho JL, et al. Med Sci Sports Exerc 2017; Lopes TR, et al. Front ).

 

A isquemia também pode ser usada durante treinamento resistido de baixa intensidade para gerar ganhos de força e hipertrofia semelhantes a um treinamento resistido convencional. Este tipo de treinamento é chamado de treinamento com restrição de fluxo sanguíneo ou kaastu training e pode ser muito útil, por exemplo, para a reabilitação de lesões ortopédicas por evitar o uso de cargas altas.

 

Estes são assuntos que serão discutidos na palestra do Prof. Bruno Silva. Após a palestra os interessados poderão ter contato com equipamentos para gerar isquemia e os utilizarem

Pexe.jpeg

THIAGO FERREIRA

Monitoramento do treinamento supera a periodização clássica para a indução de adaptações e ganho de desempenho

Mestre na área de fisiologia do exercício

Professor do Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas e colaborador da Universidade Federal de São Paulo

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/8848439019640095

Existem diversas teorias sobre periodização para prescrição de treinamento físico. Mas estudos modernos sobre o assunto têm suportado que o treinamento deve ser ajustado individualmente conforme as adaptações de cada um ao treinamento, assim como conforme o estado de recuperação após cada sessão de treino.

 

Portanto, métodos de monitoramento do treinamento são atualmente reconhecidos pelos melhores profissionais do mundo na área de treinamento como superiores aos métodos clássicos de periodização.

 

O mestre Thiago Ferreira tem ampla experiência prática no uso de métodos de monitoramento de atletas e abordará as evidências científicas que suportam o uso de tais métodos, bem como demonstrará estratégias que podem ser usadas para implementar o monitoramento de atletas no dia a dia de trabalho com a prescrição de exercícios.

Lauro Viana2.png

LAURO VIANNA

Treinamento de preensão manual reduz a pressão arterial de indivíduos com hipertensão sistêmica

Pós-doutor na área de fisiologia do exercício físico
Professor da Universidade de Brasília - UNB
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938493818956438

A hipertensão arterial sistêmica afeta um em cada quatro adultos no Brasil. Portanto é uma doença altamente prevalente e é porta de entrada para outras doenças mais graves como infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral.

 

Preveni-la e tratá-la é consequentemente fundamental. Treinamento com exercícios aeróbicos é um meio não farmacológico eficaz para o controle da pressão arterial sistêmica. No entanto, nos últimos 15 anos diversos estudos têm suportado que um tipo de treinamento muito mais simples pode também ser benéfico para o controle da pressão arterial sistêmica, que é o treinamento de preensão manual isométrica (isometric handgrip training).

 

Este tipo de treinamento será discutido na palestra do Dr. Lauro Vianna, que é um especialista na área (ref.: Farah BQ, et al. Front Physiol 2018), e interessados poderão experimentar na prática o método após a palestra.